Projeto musical iniciado durante a pandemia do Covid-19 supera adversidades

e tem lançamento internacional em CD edição de colecionador

Mesmo com todas as restrições impostas pela pandemia do Covid-19 o valinhense Ricardo Margadona conseguiu realizar, a distância, em parceria com a cantora Rebecca Riss (USA) e contando com a participação de músicos do Brasil, Estados Unidos, Canadá, Dinamarca, Israel e Alemanha o álbum Delirium que ganha no mês de Abril um lançamento internacional pelo selo Spectro e Psico BR.

O álbum, inicialmente lançado de maneira independente em plataformas digitais, começou a chamar a atenção e teve suas músicas executadas em mais de 100 rádios em 5 continentes e vem ganhando cada dia mais espaço na cena musical independente mundial.

Ricardo Margadona e Rebecca Riss se conheceram através de um aplicativo que conecta músicos em todo o mundo e permite compartilhamento de composições e colaborações virtuais. Assim nasceram as 6 músicas que compõem o álbum com um som que usa a estrutura de rock progressivo, as combinações tem belas variantes, ora melódicas e de tom gótico, ora com o vigor do rock clássico.

Após a mixagem as músicas foram masterizadas no moderno Demun estúdio em Phoenix (USA) elevando ainda mais a qualidade das gravações.

O CD, em edição limitada de 500 cópias (com parte destinada ao mercado internacional), conta com a arte do Rio Clarence Wildner Lima, que tem trabalhos realizados para as bandas Kiss, Motley Crue, Ministry entre outros e virá com um encarte de 8 páginas e pôster 24x24 cm.

Ricardo Margadona

& Rebecca Riss

Ricardo é  um engenheiro eletricista,  baixista e amante da música. Costumava tocar em bandas “cover” e teve seu maior processo criativo durante a pandemia do Covid-19. Privado do contato direto com outros músicos Ricardo iniciou uma experiência virtual através de um aplicativo que conecta músicos em todo o mundo. Pela primeira vez fez algumas composições e disponibilizou para colaboração de outro músicos do aplicativo. Uma de suas composições chamou a atenção da cantora Norte Americana Rebecca Riss que solicitou incluir letra e voz. Desde esta primeira colaboração ficou claro que tinham uma conexão musical e algo muito especial poderia nascer desta parceria.

Rebecca Riss vive em Avondale, Arizona e divide seu tempo entre o emprego como Diretora de Customer Care de uma empresa e cantora solista em diversos corais tendo se apresentado em lugares como o The Palace Theater em Waterbury, a Estatua da Liberdade e em Roma para o Papa João Paulo II. Sua poderosa voz dá a música de Ricardo o tom soturno caracteristico do trabalho.

O CD

O CD chama a atenção pelo cuidado e riqueza de detalhes. Além da maravilhosa arte de Wilder Lima, todas as letras do encarte foram escritas a mão em papel envelhecido pela cantora Rebecca Riss e depois digitalizados para o encarte. Um pôster 24 X 24 é incluído junto ao encarte. A mídia também ganhou estampa. Ao retirar o CD, o acrílico transparente revela outra variante do desenho da capa. Um adesivo metalizado foi aplicado sobre a embalagem plástica do CD informando que este trabalho foi feito durante a pandemia.

As músicas foram masterizadas pelo engenheiro de som Colin Dobash no moderno Demun estúdio em Phoenix Arizona, contam com as 6 músicas compostas e 3 faixas bônus com partes de apresentações em rádios da Inglaterra e Austrália.

Spectro e Psico BR

Sempre buscando a preservação da música do passado e incentivo à música do presente, em parceria inédita, o iniciante selo Spectro junta forças com o já experiente selo Psico BR para realizar esta empreitada. Rafael da Spectro nos conta como chegou a esta parceria:

“Em 2020 tive a oportunidade de conhecer o Imperial War Museum em Londres e estava acontecendo uma exibição temporária chamada “Culture Under Attack” que contava a história de várias iniciativas artística e culturais em períodos de guerra e opressão. História de pessoas que não se deixaram vencer, utilizaram de criatividade e coragem e continuaram produzindo.

Essa exibição e todas as históricas me marcaram e voltaram a minha memória com a pandemia do Covid-19 que limitou drasticamente o formato mais “standard” de fazer música que é reunir músicos, ensaiar e tocar em lugares.

Eu resolvi que queria achar alguém que tivesse feito um trabalho musical interessante nesta pandemia e oferecer uma parceria para lançar o trabalho em meio físico.

Tive a feliz ideia de chamar o Fabricio Bizu do selo Psico BR para um café e deixar ele saber que eu estava buscando um artista para parceria. Sai do café com o nome “Ricardo Margadona e Rebecca Riss” e uma possibilidade de lançar o trabalho junto com a Psico BR.

Nunca se conheceram pessoalmente, nunca entraram em estúdio, ensaiaram ou tocaram juntos.

Ricardo e Rebecca, como nas histórias que eu vi na exibição em Londres, foram além dos processos habituais, encontraram meios e trabalharam na adversidade. Em tempos de isolamento fizeram um trabalho coletivo e de parcerias intercontinentais.”