Luiz Eça não foi apenas um dos maiores músicos brasileiros da segunda metade do século XX. Pianista, arranjador, compositor, professor e líder de um dos mais criativos conjuntos vocais e instrumentais da música brasileira, o Tamba Trio, ele talvez tenha sido o músico mais influente de sua geração.

Por isso, para celebrar os 80 anos do músico falecido precocemente em 1992, seu filho também músico, Igor Eça, resolveu produzir um disco que fizesse jus a todas essas dimensões do pai.

Nasceu assim “EM CASA com Luiz Eça”, disco que reúne quatro dos maiores músicos do Brasil (e por conseguinte do mundo): Dori Caymmi, Edu Lobo, Toninho Horta e Zé Renato, todos de alguma e intensa forma, discípulos de Luiz Eça.

O clima do disco - todo com músicas do homenageado à exceção de “Menino da noite”, canção nova de Igor Eça e Paulo César Pinheiro também em sua homenagem - busca recuperar os inesgotáveis saraus que Eça promovia informalmente em sua casa, sempre de porta aberta para os músicos e amigos.

Nesse clima muito informal - mas de alta densidade musical - os amigos vão de revezando nos temas. Não se trata, neste sentido, de um disco clássico de “participações especiais”, como era de esperar, mas de um sarau mesmo.

LUIZ EÇA - EM CASA

R$27,00
LUIZ EÇA - EM CASA R$27,00

Luiz Eça não foi apenas um dos maiores músicos brasileiros da segunda metade do século XX. Pianista, arranjador, compositor, professor e líder de um dos mais criativos conjuntos vocais e instrumentais da música brasileira, o Tamba Trio, ele talvez tenha sido o músico mais influente de sua geração.

Por isso, para celebrar os 80 anos do músico falecido precocemente em 1992, seu filho também músico, Igor Eça, resolveu produzir um disco que fizesse jus a todas essas dimensões do pai.

Nasceu assim “EM CASA com Luiz Eça”, disco que reúne quatro dos maiores músicos do Brasil (e por conseguinte do mundo): Dori Caymmi, Edu Lobo, Toninho Horta e Zé Renato, todos de alguma e intensa forma, discípulos de Luiz Eça.

O clima do disco - todo com músicas do homenageado à exceção de “Menino da noite”, canção nova de Igor Eça e Paulo César Pinheiro também em sua homenagem - busca recuperar os inesgotáveis saraus que Eça promovia informalmente em sua casa, sempre de porta aberta para os músicos e amigos.

Nesse clima muito informal - mas de alta densidade musical - os amigos vão de revezando nos temas. Não se trata, neste sentido, de um disco clássico de “participações especiais”, como era de esperar, mas de um sarau mesmo.